quarta-feira, 24 de maio de 2017

PORQUE ELE É DE CÂNCER

Ele tem cara de bravo, mas é só a cara mesmo. Cinco minutos ao lado dele e você perceberá que a cara é só uma armadura pro seu coração sensível e frágil. Ele te olha como se compreendesse por inteiro o que metade dos outros demoram anos para entender. Tem aquela mania irritante de perguntas retóricas, mas só porque ele gosta de te fazer pensar melhor sobre as atitudes tomadas.
Não estranhe se você pensar que o conhece de outras vidas, na verdade ele tem facilidade de entrar no coração das pessoas. Sabe como ninguém arrancar sorrisos sinceros e falar as palavras certas, na hora certa e quando você mais precisa escutar.
Ele é daqueles que se tornam importantes sem que você de conta, e quando você menos espera a vida já não tem mais a mesma cor se ele não está. Ele tem aquela persistência que você tanto admira, aquela que você queria ter, mas que vez ou outra esquece em algum canto dentro de si mesma. Ele não esquece. E se você tiver sorte em encontrá-lo por ai, ele não vai te deixar esquecer também. Para ele os sonhos são algo que você conquista através de ações, não de noites bem dormidas. Ele tem aquela mania de realidade, mesmo quando sabe que é especialista em sonhar também.
Mesmo quando estiver ocupado, ele dará um jeito de se fazer presente, e ao contrário do que muitos pensam sobre os cancerianos, ele não é um saco de batatas. É daquele tipo que sabe como tratar bem, mas também sabe tratar mal quem merece. Ele é aquele amigo que você pode contar para a churrasqueira de domingo, para o clube nos finais de semana, para o happy hour com os colegas de trabalho e para te buscar no aeroporto de madrugada. Responsabilidade é seu segundo nome, porque o primeiro é sinceridade. Ele é daquele tipo de homem que não costuma mandar recado ou guardar comentários para mais tarde, mesmo quando estiver tímido ele soltará safadezas na sua frente.
Se você o encontrar por ai, sorria. Ele gosta de sorrisos largos e corações grandes o bastante para que caiba os medos que ele carrega dentro de si. E seja boa. Ele aprecia pessoas com bom coração. Entenda que a família estará em primeiro lugar (principalmente se ele tiver um filho). Sinta-se uma mulher de sorte, pois ninguém te abraçara como ele. Ninguém será tão amável quanto ele. Ninguém segurará suas mãos como ele. Ninguém estará tão interessado na sua vida quanto ele, em partes porque ele é curioso, em partes porque e intrometido e em partes porque ele gosta de cuidar de você. Não o afaste, deixe que ele saiba sobre aquele segredo que você guarda porque ninguém é tão confiável assim, ele é confiável.
Ele vai querer saber sobre suas cicatrizes, sobre a faculdade, sobre o motivo do término com o ex namorado, sobre as manias que você tem, sobre as caretas que você faz nas fotos, sobre tudo… Só porque ele está interessado. Irritantemente perfeccionista, preocupado, e praticamente impossível de convencê-lo do contrário caso ele coloque uma ideia na cabeça.
Ele é força, Myke Tyson que o diga! Morre de ciúmes, mas nunca admiti. Admitir é assumir fraquezas e ele não gosta de ser fraco. Não consegue dormir brigado, e por isso o sexo deve ser ainda melhor depois de fazer as pazes. Tem aquela mania gostosa de te elogiar, mesmo quando você sabe que não esta tão bonita assim. Ele não se entrega com facilidade, não costuma dar segundas chances porque para ele segundas chances são perda de tempo. Cheio de camadas, para chegar ao coração dele você precisará de muito mais que um rostinho bonito. Ele é daquele tipo de homem que foi criado para desconfiar, algumas vezes por medo de se machucar e outras por medo de errar. Mas se você conseguir atingir o coração… Nunca se esqueça de que o que ele mais preza em alguém é a verdade. Conquiste-o com verdades e o terá conquistado para a vida.
Porque ele é de câncer você nunca se sentirá sozinha, e terá sempre braços fortes abertos para te acolher. Porque ele é de câncer você sempre terá o melhor conselheiro ao seu lado, e sempre será motivada a ir além do que você imagina. Porque ele é de câncer o perfume dele sempre ficará preso na sua roupa no final de cada encontro. Porque ele é de câncer você sorrirá com mais frequência quando o encontrar. Porque ele é de câncer o cinema sempre será a primeira opção no primeiro encontro. Porque ele é de câncer ele colocará apelidos carinhosos em você. Porque ele é de câncer você sempre terá com quem conversar mesmo após um dia exaustivo de trabalho. Porque ele é de câncer você entenderá o motivo de nenhum outro homem ter te atraído até agora.
Ele talvez parta seu coração, mas por ele ser de câncer você vai perdoar. É impossível não se apaixonar quando ele sorri de ladinho, com os olhinhos quase fechados e te chama por aquele apelido que só ele chama… Ele é sorte de uma vez na vida, aproveite!

A história de João e Julia

Nossa história começa com João acordando meio atordoado pois seu despertador não acionou, - caramba tenho só vinte minutos para não chegar atrasado no inglês! Pensou. Se arrumou apressado, passou pela cozinha tomou rapidamente seu suco de laranja e foi comento um pão de queijo no caminho até a garagem onde pegou sua bicicleta e saiu apressado, entretanto inevitavelmente chegou tarde na aula, adentrou a sala meio desconcertado ao perceber que a turma já havia iniciado, cumprimentou com um seco “Bom Dia”, sentou-se em sua carteira para acompanhar as aulas, para João as aulas de inglês eram muito divertidas e dinâmicas, a turma era bem unida e com o passar de quase dois anos João foi criando certa amizade com Júlia, que já conhecia de vista da antiga escola que tinha estudado no ensino fundamental e porque Julia era namorada de Paulo, que estudou com ele na segunda e terceira série do ensino fundamental na mesma escola, entretanto ultimamente João estava percebendo algo diferente, ele sentia um prazer diferente ao estar perto de Julia, era bom fazer as atividades com ela, as conversas que tinham sobre heavy metal e rock clássico, era difícil de explicar, só sabia dizer que era bom desfrutar da companhia de Julia, a ponto de chegar na sexta e pensar no que falar com ela na aula do dia seguinte, e essa sensação lhe causava um misto de alegria e temor, pois temia que pudesse ser paixão, e ele sabia que não podia se apaixonar pela namorada de seu amigo, e por tudo isso preferia simplesmente não pensar nisso de modo a esquecer isso, mas por outro lado também não conseguia se afastar de Julia, afinal quem conseguiria se afastar daquele lindo e acolhedor sorriso, perfume doce e inteligência afrodisíaca? Era simplesmente impossível, por isso ele se limitava apenas a desfrutar da amizade de Julia, mesmo temente que o que sentia fosse mesmo paixão e mais temente ainda que a mesma crescesse em seu coração.
Em meio a esse turbilhão de sentimentos João julgou que buscar uma companhia feminina seria a melhor forma de pôr à prova a existência de tais sentimentos, ledo engano, pois tudo que fazia era buscar o perfil de Julia nas mulheres com quem saia, o que só lhe deu mais certeza do que sentia, mas e aí? O que fazer, como proceder? Julia namora com Paulo, seu colega de tempos atrás, é não tem jeito mesmo, tenho que esquecer ela de qualquer forma, pensava ele divagando em seus pensamentos.
João até tentava levar seu plano adiante mas como fazê-lo se quando Julia olhava pra ele com aquele lindo sorriso e aquele perfume que penetra em sua alma num êxtase inexplicavelmente aconchegante onde ele esquecia de tudo que não fosse desfrutar de sua presença o maior espaço de tempo possível, foi quando se deu conta de que não precisava se corroer em duvidas e decisões quando poderia simplesmente desfrutar afavelmente de seus sentimentos sem esperar um feedback positivo, sem o medo do “não”, mas sim com o sabor adstringente da incerteza sem precisar se preocupar em engendrar planos mirabolantes para um futuro o qual nunca se sabe se de fato existiria, pois o que existe hoje o faz feliz e é isso que importa, a doce incerteza do agora.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Eu me viro


Você sabe, eu já disse uma vez que sou bem melhor escrevendo do que falando. Sempre engasgo, sempre gaguejo, nunca consigo falar da forma que quero ou transmitir a mensagem certa. 
Parece que estamos nos despedindo sem dizer uma palavra, mal conseguimos falar e rir das coisas bobas que costumávamos rir. Agora eu começo a me lembrar dos momentos, os poucos momentos que tivemos juntos. Você estava com aquela camisa ridícula do Palmeiras no nosso primeiro encontro, ainda assim eu te achei lindo. Sorria pra mim de uma maneira íntima, porém encantadora. Eu não sabia se te olhava, se prestava atenção nas coisas que você dizia, na cerveja que eu por algum motivo não conseguia beber, na sua mão que tocava meu ombro. Em alguns instantes eu me perguntei em silêncio: "O que tá acontecendo com você, menina? É só um cara! Respira ... Respira!". 
Mas no fundo, bem lá no fundo eu sabia que você não seria só um cara. Eu senti meu coração bater novamente naquele dia. Parecia uma maldita escola de samba dentro de mim, e você ainda nem tinha me beijado. Depois do beijo, eu tive certeza que estava muito encrencada. Existia algo em você que me encantava. E eu só tinha duas opções: deixar rolar ou fazer parar. Deixei rolar. Primeiro porque é como dizem por aí, quem está na chuva é para se molhar, e eu já estava molhada demais naquela altura do campeonato, depois porque mesmo que eu quisesse me afastar já era tarde. Você fazia parte do meu dia. Você era a pessoa pra quem eu queria falar besteira no fim da noite. A chamada de vídeo que eu não tinha vergonha de atender. Você era a calmaria no meio do meu turbilhão de sentimento. Você me fez começar a gostar da imagem que via no meu espelho, e quando me dei conta eu já estava rindo até pro carteiro. Talvez eu não consiga mexer assim com você, mas você sabe que mexeu comigo, tanto sabe que agora está lentamente se afastando.
Uma noite você disse: "É tão legal isso que a gente tem né?" Eu pensei que você fosse dizer sobre o sentimento mútuo, o carinho, a vontade de estar perto, e você disse : "A química". Sim, o sexo é incrível. Você sabe o que fazer, quando fazer, como fazer, eu fico meio perdida as vezes, sem saber se estou fazendo certo, porque você sempre faz tudo muito certo comigo. Não consigo me conter. Sempre que chego perto de você é como se meu lado devassa e safada despertasse, sai faísca, eu tenho vontade de morar em você. E eu sei que isso é muito errado, que eu nunca deveria dizer isso, por isso estou escrevendo, porque talvez você nunca leia, porque talvez você nem saiba que é sobre você. Mas é tudo sobre você. É tanto sobre você. 
E a gente nem teve tempo de ir ao cinema não é? Quem sabe em uma próxima estação? Quem sabe em uma outra época? Podíamos assistir um filme de super-herói, eu gosto, e acho que você também gosta. E aí vamos comer da pipoca um do outro, e sair comentando dos poderes que gostaríamos de ter se pudéssemos. Eu gostaria de ser invisível às vezes e estar em mais de um lugar no mundo. E eu aposto que você ia rir, me chamar de algum apelido qualquer... quem sabe? 
Eu nem tive tempo de dizer que meu chocolate preferido é o crocante da garoto, aquele que ninguém gosta. Que só tomo sorvete de chocolate. Que eu choro até hoje assistindo o rei leão. Que odeio comida japonesa. 
Nem tive tempo de mostrar meus dotes culinários, mas só sei fazer macarrão. Nem tive tempo de ficar agarrada em uma noite fria como a de hoje. Nem tive tempo de aproveitar você o máximo que podia, porque eu achava que você estaria aqui depois, e depois, e depois... 
Mas eu sei que depois é muito tempo, que a vida passa rápido, que as pessoas não gostam de coisas que duram, que ninguém tem paciência para conhecer ninguém, que os abraços não podem durar para sempre, e que os sorrisos são como estrelas cadentes: eles surgem e somem do nada... Depois você nem está aqui, depois nós nem nos falamos mais, depois você nem se lembra mais de mim, depois eu vou te encontrar por aí, com aquela mesma camisa do palmeiras, com esse teu jeitinho de sorrir que me faz ficar boba, com esses olhinhos tão transparentes que você tem, de mãos dadas com outra garota e vou pensar: Depois eu conto pra ele o quanto eu senti falta dele, depois... 
E aí talvez você saiba um dia o quanto eu gostava de você. 
Agora senta aqui, deixa eu fazer um último cafuné, ficar nos seus braços só mais cinco minutinhos, rir das coisas idiotas que falamos, beijar você... 
Depois eu resolvo com meu coração, depois eu me viro!

Hoje eu não estou boa

Hoje eu não estou boa, assim Bruna se sentia quando acordou, o ônibus parecia mais cheio que de costume, o clima mais quente, o café mais frio e o pão de queijo com gosto de borracha.
Chegou no trabalho em plena segunda sem dar “bom dia” a ninguém, e quando Hélio, seu colega de setor foi fazer uma de suas corriqueiras brincadeiras ela simplesmente o repeliu e disse que não estava “boa”.
Hélio ficou a pensar: E o que eu tenho com isso? Porque as mazelas pessoais de cada um podem ser prerrogativas para destratar alguém que só queria trazer um pouco de alegria a seu dia?
O dia se seguiu e Bruna acabou sendo rude com mais alguns de seus colegas e até com seu supervisor, alguns entenderam que o dia não estava fazendo por mal, pois apenas tivera um dia difícil, outros simplesmente se afastaram, os problemas de Bruna se resolveram e ela voltou com seu rotineiro sorriso no rosto, porém nem todos seus amigos conseguiram ser tão receptivos quão. Hélio era um desses, pois pensa que os problemas de cada um podem até ser divididos, mas nunca descarregados, pois Hélio é daqueles que acham que se nós simplesmente nos sentirmos no direito de sermos grossos por conta de um dia difícil o mundo será um completo caos, problemas todos temos, mas isso nunca foi e nem será prerrogativa para que os outros padeçam pelos nossos próprios dilemas. Pois como dizia Mario Quintana: “O problema dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso. ”
E o problema de Hélio que por ser tão reflexivo nunca mais conseguiu agir naturalmente com Bruna, ele nunca tocou no assunto e ela nunca foi bom em se desculpar, e assim a vida nos mostra que são as pequenas atitudes que fazem a diferença, tanto para o bem quanto para o mal, mas hoje não, porque hoje eu não estou bem...

domingo, 14 de maio de 2017

Song of a Day

No Song of a Day de hoje eu trago a música Mulher do Projota, sinceramente rap não é bem meu estilo, mas essa música tem uma pegada leve e um letra simplesmente do C@%@l#o, acordei com ela que tem muita cara de domingo e foi o tema do pedal de hoje, então segue clipe da indicação de hoje:


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Até Logo...

E eu não entendo seu silencio depois de sorrisos, gritos e gemidos. Você que se fazia tão presente, sumiu quando eu mais precisei, mais te queria comigo, perdido entre dúvidas e desejos fecho os olhos e com o seu sorriso em minha mente, e inebriado pelo seu perfume que me toma a mente espero que receba meu boa noite na esperança de um até logo.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

No dia de chuva...

Acordei, mas meu corpo parece não me responder, ele ainda está sonolento da noite anterior, seus cabelos loiros ainda tomam minha mente e extasiam meu corpo com suas lembranças e encantos. A chuva cai lá fora e o frio toma conta, mas aqui dentro só o calor de seu amor me preenche.
Djavan dizia que ler um livro é a melhor pedida para um dia frio, isso porque ele não te conheceu minha bela, se ele soubesse de seus encantos, daqueles que me mostrou e daqueles que ainda ei de conhecer nunca mais pensaria em leitura; mas deixemos de lado os males que podes fazer a literatura.
Pois a chuva ainda cai e enquanto você “passa” um café na cozinha eu fico à sua espera, pois neste frio, seu café e corpo quentes são tudo que eu preciso no momento.